quarta-feira, 22 de março de 2017

Olá meus bagaceiros literários, tudo bem? Dia de resenha por aqui e não poderia ter demorado mais para ler e resenhar esse livro surpreendente de autoria nacional.
TÍTULO: O Sorriso da Hiena
AUTOR: Gustavo Ávila
PÁGINAS: 304
EDITORA: Independente
Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitável psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém, a proposta feita pelo misterioso David coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. 
Para saber se é uma pessoa má por ter presenciado o brutal assassinato dos seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a dele, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma na vida delas.
Até onde ele será capaz de ir? É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?
O sorriso da hiena é um suspense psicológico escrito por Gustavo Ávila e teve sua publicação em 2015 de forma independente. O livro é narrado em terceira e possui algumas temáticas interessantes além do próprio enredo policial.

Um garoto de 8 anos presencia, à força, a morte dos pais. Sua vida é poupada porém conviver com a cena de ver seu pai tendo a língua arrancada e após ser morto com um tiro na cabeça, assim como sua mãe não é uma lembrança boa para se ter. Depois de 24 anos, a cena se repete, mudando os personagens, inclusive o autor do crime.

Após o primeiro acontecimento de pais assassinados na presença do filho, sempre de 8 anos, o detetive Artur comanda o caso na busca do autor do singular crime. Artur é um jovem com síndrome de Aspergh e lidera com maestria os casos mais difíceis que chega na delegacia onde atua. Sua personalidade interessante e humor exclusivo de portadores da síndrome o torna automaticamente o personagem favorito da história.

O primeiro garoto sobrevivente do serial killer é levado para ser acompanhado por um psicólogo especialista em crianças traumatizadas. Além de ajudar o pobre garoto, sua atuação pode levar à pistas do assassino. O psicólogo é William, que lançou um livro sobre o estudo na formação de personalidade de crianças. Ninguém nunca acharia que todos esses caminhos estariam interligados.

Logo depois de atender o garoto, William recebe um contato do próprio assassino, David, oferecendo uma proposta inusitada e mortal, mas para o curioso psicólogo, irrecusável. Às vezes, para adquirir o conhecimento que sempre sonhou em alcançar é preciso (mesmo?) sacrificar algumas pessoas coisas, mesmo que seja para fins que irão ajudar todo o mundo. Mas será que os meios justificam os fins?

O assassino não é segredo para o leitor, mas o suspense pega de jeito mesmo assim, quando a maldade e a crueldade começa a ir muito além do que esperamos. A todo momento surpresas são jogadas na nossa cara, como um tapa rápido e certeiro, e dessa mesma forma, dói. Um quebra-cabeça que foi bem montado, dividido e espalhado. E não se confie que conseguirá remontar com facilidade durante metade da leitura, é preciso ir até a última página para entender e se chocar com o que o autor preparou.

O sucesso do livro é totalmente compreensível. Tenho amigos que me perguntaram o que achei e digo: foi o melhor thriller nacional que li. É uma obra lançada de forma independente por um autor estreante mas que supera qualquer expectativa por ser tão substancial nos temas já conhecidos por nós leitores do gênero.

Espero que tenham gostado. Beijo na alma e até a próxima!

segunda-feira, 20 de março de 2017

Então, povo lindo e maravilhoso! Hoje é dia do blogueiro e pra comemorar trouxe a indicação de uma coisa linda que assisti! Faz todo sentido né!? Haha. Bom, sem mais delongas vamos à dica do dia.

Kotonoha no Niwa ou Garden of Words em inglês, que em português fica Jardim das Palavras é um anime japonês do gênero drama de 46 minutos lançado em 2013 pela Madman Entertainment.

O filme conta a história de Takao, um jovem de 15 anos que tem todo seu tempo ocupado em estudar, fazer bicos nas férias e horários livres e criar seus protótipos de sapatos, sua paixão. Em Tóquio, onde o estudante vive, começa a estação de chuvas quase incessantes. Em um desses dias, ao se abrigar no Jardim Shinjuku Gyoen, ele divide o pequeno espaço com Yukari, uma mulher de 27 anos.

O encontro do acaso dos dois se torna estranho e repentino quando Yukari percebe o uniforme do rapaz e sem ter trocado nenhuma palavra anteriormente se despede com o trecho de um conhecido poema japonês. Isso foi tudo para deixar o rapaz intrigado. 

Todas as manhãs chuvosas desde então, os dois se abrigam no mesmo local e começam a trocar palavras, conversas e confissões, mas sem nunca oficializarem uma apresentação. Quando as férias acabam e Takao retorna para a escola tem uma grande surpresa ao encontrar Yukari por lá recebendo a atenção de alguns alunos. A partir de então Takao procura descobrir o motivo da visita e quem Yukari realmente é. As surpresas são dolorosas.

Um filme curto, incrivelmente rico em detalhes e com uma história relativamente simples mas com uma profundidade de sentimentos vividos pelos protagonistas que deixam aquele vazio gostoso que nunca admitimos gostar em filmes assim, mas é exatamente isso que o torna bom. Uma amizade improvável, um amor impossível.

A sonoplastia é coisa de outro mundo meu povo! Muito bem feito, lindo e reflexivo. Se você não gosta de animes por achar infantil deixe esse preconceito de lado e mergulhe nesse drama pra morder a língua bonito!

Beijo na alma!



quinta-feira, 16 de março de 2017

Hello, my dears! Hoje é dia de resenha e vos lhe apresento um livro que engoli em um dia de um gênero que já trouxe antes por aqui e quebra, de forma boa, minha rotina de leituras. Vem conhecer
 Neste livro, o autor narra fatos de 23 anos de sua vida pessoal, através de 47 crônicas reais, divertidas e emocionantes. Tendo o Rio de Janeiro como cenário da maioria das histórias, o livro aborda o meio GLBTT em todas as situações contadas por Occello Oliver.
As 7 cores que amei é um livro de crônicas pessoais narradas pelo autor e editor Occello Oliver. Lançado pelo Alma G, selo da Cultura em Letras Edições, a obra foi finalista do Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2015 – Categoria Projeto gráfico.

Crônica é um dos gêneros literários ao que eu tenho um amor desde quando conheci Martha Medeiros. São textos que necessitam muita responsabilidade. Quando me pego lendo alguma crônica, é como estar sentado de frente pro autor, escutando aquela história que ele está contando. Rindo, chorando ou refletindo ao digerir aquelas palavras.

Com As 7 cores que amei não foi diferente. Occello nos convida a conhecer pedacinhos de sua história, contados de forma descontraída mas sem perder a elegância e sensatez que, já sei, são características natas do mesmo.

Conhecemos fatos desde a infância onde Occello se afunda em nostalgia para nos descrever seus medos e dificuldades que foram superados nos dando uma lição de sabedoria e paciência. Quem nunca sofreu por se achar diferente, antiquado e fora dos padrões? E quem nunca sofreu por um amor não correspondido?

Homossexual assumido, Occello se abre ao narrar experiências inusitadas, engraçadas, lindas e inesquecíveis! No mundo gay, que é o mesmo mundo de todos, nem tudo é diversão mas com certeza nem tudo são lágrimas. As experiências ensinaram e Occello aprendeu. Agora ele nos conta, e nós atentamente escutamos, nessa agradável conversa temos ao ler esse livro.

Este livro, assim como todo o catálogo da editora estará com preço reduzido + frete grátis para todo o Brasil até o final do mês de Março de 2017. Se gosta do gênero simplesmente não perca essa indicação. Espero que tenham gostado da resenha. Beijo na alma!

terça-feira, 14 de março de 2017

Olá, seus lindos! Como estão? Hoje venho trazendo para vocês a indicação de um livro muito bacana que venho lendo no Wattpad. Apesar de não ser leitor assíduo na plataforma, vez ou outra eu ando iniciando umas leituras que me chamam muita atenção. Uma delas é um livro de fantasia encantador do autor parceiro do blog, Marcio Zanini. Eis a obra:
Uma mitologia fantástica sobre o surgimento do primeiro e único ninfo. 
Malcrow foi criado por sua mãe Buerha, a rainha das ninfas, numa situação proibida e cheia  artimanhas com a única finalidade de salvar a espécie. Mas ao incluir os seres humanos na criação de seu filho, ela logo descobriria que quando se trata da vida humana, nada sai como planejado.
Malcrow não vem com a facilidade de ser domado como sua mãe havia imaginado. Curioso e investigativo por natureza, ele não vai somente querer explorar mais sobre o mundo fora do reino das ninfas como também toda a verdade sobre seu pai, o lenhador Bartho, como também   descobrir tudo sobre sua mãe e o do que ela é capaz. Malcrow é a salvação ou a destruição? Tudo é possível a partir do momento que ele começa a pensar por conta própria.

Pra quem curte fantasia na sua mais pura essência não pode deixar de conferir. A obra está em andamento, no momento, com 5 capítulos.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Olha só que novidade MARAVILHOSA! O Livrai-nos agora é parceiro do Catálogo Literário do Grupo Editorial Record. Ou seja, trarei várias novidades e resenhas de vários selos do grupo Record.

Confira alguns dos lançamentos!

Ferrugem - Marcelo Moutinho

O assunto de Ferrugem é a paisagem humana, os grandes dramas corriqueiros, a vida que passa. Desfilam por aqui personagens ímpares, insuspeitas, inesquecíveis, ainda que aparentemente comuns: a moça soropositiva, caixa de supermercado, que reencontra o antigo namorado; a cobradora de ônibus que dá conselhos amorosos a um passageiro; o cantor de boate que imita Roberto Carlos. O valor literário dos contos de Marcelo Moutinho não está em tramas surpreendentes ou inusitadas, mas na alta-voltagem poética que a voz do narrador consegue extrair de situações vulgares.



O Muro - William Sutcliffe


Joshua tem 13 anos e mora com a mãe e o padrasto em Amarias, um lugar isolado no topo da montanha, onde todas as casas são novíssimas. Na fronteira da cidade, há uma barreira bem alta, guardada por soldados fortemente armados e que só pode ser cruzada através de um posto de controle. Ninguém deve entrar naquele lugar, e quem está lá não tem permissão para sair. Desde pequeno, Joshua sabe que, do outro lado daquela muralha, há um território violento e implacável e que O Muro é a única coisa capaz de manter seu povo em segurança. Desde pequeno, ele sempre ouviu que, do outro lado, havia um território proibido, um lugar violento e perigoso, do qual um garoto como ele deveria manter distância. Um dia, a bola de Joshua cai do outro lado do Muro e, ignorando tudo o que sempre ouviu, ele vai atrás dela e acaba descobrindo um túnel que o leva a uma realidade que jamais imaginou encontrar. Lá ele acaba caindo nas mãos de uma gangue sanguinária, mas a bondade de uma menina salva sua vida. Porém isso acaba desencadeando um ato de extrema crueldade e coloca Joshua em dívida com ela... Uma dívida que ele fará de tudo para pagar.

Charlotte - David Foenkinos

A vida da pintora Charlotte Salomon, morta em Auschwitz 

Uma tragédia familiar pouco antes da Segunda Guerra Mundial marca a vida da pequena Charlotte, que já dava indícios da realizada artista que viria a se tornar. Obcecada pela arte e pela vida, a jovem, progressivamente excluída de todas as esferas sociais alemãs com a ascensão do nazismo, teve que abandonar tudo para se refugiar na França. Exilada, ela inicia uma obra pictural autobiográfica de uma modernidade fascinante. 
David Foenkinos coloca em suas próprias palavras um tributo original, apaixonado e vivo a Charlotte Salomon. Esse romance assombroso e redentor, pautado na vida da trágica figura real que lhe serve de protagonista, é o relato de uma busca. Da busca de um escritor obcecado por uma artista.




O que o inferno não é - Alessandro D'Avenia

Um romance do autor de Branca como leite, vermelha como sangue. 
A escola chegou ao fim, e o verão se abre à frente de Federico, tal como Palermo, sua deslumbrante e misteriosa cidade. Enquanto se prepara para estudar em Oxford, o garoto de 17 anos encontra 3P, o professor de religião, padre Pino Puglisi. Ele não se ofende, sorri. 3P o convida a ajudá-lo com as crianças do seu bairro antes que ele viaje. Quando Federico atravessa a passagem de nível que separa Brancaccio do restante da cidade, ainda não sabe que nesse exato instante começa sua nova vida, a verdadeira. 
À noite, volta para casa sem bicicleta, com os lábios arrebentados e a sensação de ter descoberto uma realidade totalmente estranha, mas que lhe concerne de perto. É o emaranhado de ruelas controladas pela Cosa Nostra. É também onde moram muitos que não renunciam à esperança de uma vida que os leve tão longe quanto a bola que recebe um chute muito forte



A Beleza é uma ferida - Eka Kurniawan

A vida da prostituta mais procurada da fictícia Halimunda, Dewi Ayu, e das quatro filhas é marcada por estupros, incestos, assassinatos e fantasmas – muitas vezes vingativos. Astuta, destemida e engenhosa, Dewi levanta-se do túmulo após 21 anos para contar a própria história e desvendar alguns mistérios. Mas talvez a principal razão para o forte desejo de voltar à vida seja visitar sua quarta filha, a quem ela deu à luz antes de morrer. Seu nome é Beleza, mas foi abençoada com a feiura que Dewi tanto desejou para afastar a família da maldição da beleza. Ao contar essa história, Eka Kurniawan, o aclamado escritor indonésio, faz uma crítica mordaz ao passado conturbado da sua jovem nação: a ganância do colonialismo; a luta caótica para a independência; a ocupação japonesa; o assassinato de um milhão de “comunistas” em 1965, seguido por três décadas de governo despótico de Suharto. Combinando folclore, sátira e a formação da Indonésia, a voz inconfundível de Kurniawan – inspirada em Melville e Gogol – traz originalidade e relevância para a literatura contemporânea e oferece aos leitores o prazer na linguagem exuberante usada para descrever uma carnificina; defendendo simultaneamente a força necessária para sobreviver.

A Bagaceira - José Américo de Almeida

Considerado o marco inicial da segunda fase do Modernismo brasileiro, A bagaceira inaugura o ciclo do “romance nordestino” dos anos 1930. 
Obra-prima do romance regionalista moderno, a história se passa entre 1898 e 1915, os dois períodos de seca. O enredo central gira em torno do triângulo amoroso entre Soledade, Lúcio e Dagoberto. Soledade, menina sertaneja, retirante da seca, chega ao engenho de Dagoberto, pai de Lúcio, acompanhada de vários retirantes: Valentim, seu pai, Pirunga, seu irmão de criação, e outros que fugiam da seca. Lúcio e Soledade acabam se apaixonando. Mas a relação entre os dois ganha ares dramáticos quando Dagoberto violenta Soledade e faz dela sua amante. 
A tragédia de amor serve ao autor, político paraibano, puramente como pretexto para denunciar os problemas sociais econômicos do Nordeste, os dramas dos retirantes das secas e da exploração do homem em um injusto sistema social. Explorando os mesmos temas, o baiano Jorge Amado, a cearense Rachel de Queiroz, o alagoano Graciliano Ramos e o também paraibano José Lins do Rego desenvolveram a mesma literatura ficcional crítica e revolucionária.

A Felicidade da parceria é tamanha. E esses lançamentos estão me deixando eufórico! Aguardem resenhas de livros da editora em breve. Beijos na alma!

terça-feira, 7 de março de 2017

E aí bagaceiros, como estão? Depois de um tempo sem postar mais nenhuma TAG trago uma bem interessante e que diz muito sobre mim como leitor. Essa TAG vi há alguns meses no blog Book & Cia e curti demais. Então vamos lá responder a essas perguntas...
1. Quando você lê ? Manhã, tarde, noite, o dia inteiro ou quando tem tempo ?

Dificilmente leio pela manhã. Todos os dias leio, sagradamente à noite. Mas no ônibus sempre que dá tô lendo, então varia.

2. Você lê apenas um livro de cada vez ?

Há algum tempo adquiri o hábito de ler mais de um livro. Pensei que iria me atrapalhar, ficar confuso e tal, mas deu certo e foi só amor! No momento estou lendo 3. Deixo o menorzinho pra levar na mochila e ler no bus :)

3. Qual seu lugar favorito para ler ?

Definitivamente na minha cama, de preferência ouvindo minha playlist favorita.

4. O que você faz primeiro: lê o livro ou vê o filme ?

De preferência o livro. Mas muitas vezes assisto o filme primeiro, o que não me tira o interesse nem a vontade de ler o livro. Às vezes atiça mais ainda minha curiosidade.

5. Qual formato de livro você prefere? E-book, áudio-livro ou livro físico ?

Sem dúvida alguma livro físico! Até porque não tenho dispositivo leitor de e-book e ler pelo celular ninguém, NINGUÉM merece. Se você ler e é de boas...parabéns, guerreiro(a)!

6. Você tem um hábito exclusivo ao ler ?

Sempre leio ouvindo música, principalmente em lugares públicos como no bus, por exemplo, me ajuda a concentrar. E nunca como ao ler, meu livro não merece as migalhas da minha comida haha.

7. As capas de uma série tem que combinar ou não importa ?

Essa parece ser uma pergunta bem boba né? Eu não acho, diz muito sobre preferências e julgamentos de uma obra, no caso, uma série. Eu acho que precisa sim combinar. Uma série onde os volumes possuem capas que não combinam dá uma impressão de falta de planejamento e nós, leitores frescos (haha), não conseguimos nem imaginar aqueles livros diferentes em sequência na estante, né? rsrs.
Gente, é isso. Espero que tenham gostado das perguntas. Depois trago mais tags para compartilhar curiosidades com vocês. Beijo na alma...fui!

quinta-feira, 2 de março de 2017

Olá queridos, como estão? Dia de resenha por aqui e o livro de hoje me surpreendeu bastante, de diversas formas. Sem enrolação vamos direto ao ponto...

Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai – o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos –, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A maldição do vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?
A Maldição do vencedor é o primeiro livro da trilogia O Vencedor lançado pela editora Plataforma 21. Com 328 páginas, o livro narrado em terceira pessoa mistura romance e política que envolve o leitor e o leva a prender a atenção nesses dois temas.

Kestrel é uma jovem de 17 anos filha do general de Valória. A jovem perdeu a mãe ainda muito cedo e seu pai tenta convencê-la para que a filha se aliste no exército e seja uma soldado ao seu lado. A moça tem um olho bom para estratégias e não lutas e cresceu sempre rebatendo a opinião do seu pai sobre seu futuro. A personagem tem uma personalidade que conquista o leitor logo no primeiro capítulo.

Certo dia, ao passear com sua melhor amiga, Jesse, as duas se deparam com um leilão de escravos e Kestrel tem um desejo súbito de comprar um jovem escravo, o qual o leiloeiro informa que além de ser um ferreiro é também um ótimo cantor. As habilidades chamaram a atenção de Kestrel pois um ferreiro era muito conveniente para o pai. Mas quando ouviu que o escravo sabia cantar ela encheu os olhos pois ela amava tocar piano.

A moça cobriu todas as ofertas pagando um preço altíssimo pelo escravo o que gerou o primeiro de vários burburinhos e escândalos que viriam a se seguir. O escravo se chamava Arin, um bonito e misterioso rapaz herrani. Os herranis eram os povos que dominavam Herran, antes de os valorianos tomarem o poder. Depois da guerra os herranis vivos se tornaram escravos.

No início Kestrel não sabia muito o que fazer com o escravo, pois a compra foi um tanto quanto impulsiva. Depois deixou-os nas mãos do mordomo para que instruísse suas atividades. Todos os encontros entre a moça e seu escravo eram marcados por tensão e curiosidade. O rapaz tinha um mistério em seu olhar que variava de irritante à charmoso. Logo que Kestrel começou a usá-lo como seu acompanhante, espécie de segurança pessoal, o que era normal para as mulheres valorianas, a barreira entre os dois pareceu se rachar e começaram, aos poucos, a se conhecer. Ou pelo menos achavam que estavam se conhecendo.

Todas as propriedades que os valorianos habitavam, eram anos antes dos herranis. A derrota desse povo parecia ter sido concretizada e ficado no passado. Mas a vingança vinha sendo planejada e a concretização estava próxima. Enquanto Kestrel estava preocupada em desvendar o mistério que era seu escravo, seu pai lutava em batalhas constantemente, sua amiga só pensava em festas junto com seu irmão que queria um compromisso com Kestrel, os herranis estavam trabalhando arduamente para reconquistar o poder usando escravos infiltrados nas mais importantes famílias.

Um improvável romance em meio a uma sociedade que vivia uma recém reviravolta política irá surpreender o leitor ao achar que tudo é muito óbvio quando se trata de amor e poder. Os personagens são meticulosos e sabem usar bem o raciocínio para a guerra mas muitas vezes são meros aprendizes com o desejo ao usar o coração.

Foi o primeiro livro que li da editora Plataforma 21 e me surpreendi com a qualidade da edição. Capa, diagramação e revisão perfeitos. Uma surpresa lendo esse romance de época, gênero que vem me conquistando cada vez mais com histórias fortes e fugindo dos clichês.

Curtiram a resenha? Já conheciam o livro? Comenta aí... beijo na alma e até a próxima!

Compre o Livro

Mais do livro nesse vídeo

quarta-feira, 1 de março de 2017

Hey leitores, cinéfilos, bagaceiros! O terceiro mês do ano chegou rápido e trouxe com ele muitas novidades pras telonas. De várias estreias selecionei as mais interessantes pra vocês. Segura aí...

LOGAN

Por ordem de lançamentos vamos com Logan. O Hugh Jackman esteve no Brasil recentemente pra divulgar o mais recente filme e o destaque para o novo longa é a aparência do personagem que está bem mais velho e meninazinha que luta que nem o capeta Tá irado!
SINOPSE: Em 2024, os mutantes estão em declínio e as pessoas não sabem o motivo. Uma organização está transformando as crianças mutantes em assassinas e Wolverine, a pedido do Professor Xavier, precisa proteger a jovem e poderosa Laura Kinney, conhecida como X-23. Enquanto isso, o vilão Nathaniel Essex amplia seu projeto de destruição.
ESTREIA: 2 de Março.  TRAILER


KONG

Em 2005 tivemos um incrível remake de King Kong. Agora 12 anos depois somos presenteados com um que parece ser o mais explosivo filme sobre o lendário gorila. O elenco e efeitos estão muuuuito f*das.
SINOPSE: Esta aventura fascinante conta a história de uma diversa equipe de cientistas, soldados e aventureiros que se unem para explorar uma ilha mítica e intocada no oceano Pacífico, tão bela quanto perigosa. Longe de tudo e todos que podem os ajudar, a equipe se aventura no território do poderoso Kong, dando início à maior das lutas entre o homem e a natureza. Quando sua missão de descoberta se transforma em uma missão de sobrevivência, a equipe deve lutar para escapar de um paraíso primitivo ao qual a humanidade não pertence.
ESTREIA: 9 de Março. TRAILER


 A BELA E A FERA

O tiroteio é grande desde o anúncio do filme, passando pelo primeiro pôster e matando todo mundo no trailer. Além do live-action tá perfeito, quem vive a protagonista é a nossa queridíssima e amada Emma Watson. Ansiosos? Que nada, hein...
SINOPSE:  Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai capturado pela Fera e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade do progenitor. No castelo ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é na verdade um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.
ESTREIA: 16 de Março. TRAILER


POWER RANGERS

Go! Go! Power Rangeeers! Gente, que emoção ter um novo filme dos rangers! Com toda a tecnologia cinematográfica parece que teremos um filmaço. Pelo menos o trailer tá de matar! Ansioso me define.
SINOPSE: A jornada de cinco adolescentes que devem buscar algo extraordinário quando eles tomam consciência que a sua pequena cidade Angel Grove - e o mundo - estão à beira de sofrer um ataque alienígena. Escolhidos pelo destino, eles irão descobrir que são os únicos que poderão salvar o planeta. Mas para isso, eles devem superar seus problemas pessoais e juntarem sua forças como os Power Rangers, antes que seja tarde.
ESTREIA: 23 de Março. TRAILER

A VIGILANTE DO AMANHÃ: GHOST IN THE SHELL

Muita polêmica em cima de Ghost in the shell. Os fãs do mangá não ficaram muito satisfeitos com a escolha da atriz que viverá a protagonista. Gente, é a Scarlett Johanson, oi!? Maravilhosaaaa.
SINOPSE: Baseada na internacionalmente aclamada ficção científica “Ghost In The Shell” é a história de Major, uma máquina de combate, ciborgue-humana-híbrido, única de sua espécie, que líder a unidade de inteligência de elite: Sessão 9. Dedicados a capturar os criminosos mais perigosos e extremistas, a Sessão 9 é confrontada com um inimigo que tem como único objetivo acabar com os avanços tecnológicos da Hanka Robotic
ESTREIA: 30 de Março. TRAILER

O ESPAÇO ENTRE NÓS

De todas essas super estreias a que provavelmente me interessa mais é essa. Eu adoro o Asa desde Ender's Game e a Britt desde a série Secret Circle. Dois atores que admiro num filme com enredo lindo como esse! Aaaah. Tô prevendo algumas lágrimas e um repeat eterno nesse filme.
SINOPSE: O adolescente Gardner Elliot (Asa Butterfield) é o primeiro humano nascido em solo marciano. Mas ele deseja fazer uma viagem à Terra para conhecer a verdade sobre seu pai biológico, e sobre seu nascimento. Nesta jornada, ele tem o apoio de Tulsa (Britt Robertson)
ESTREIA: 30 de Março. TRAILER



E aí, tão ansiosos quanto eu? Acho difícil. Haja grana e tempo pra ver tantos filmes bons no cinema!

TWITTER